18 de jan de 2017

I'm A Live

 Pensei por vários dias sobre o que escrever, procurei a minha inspiração que normalmente não precisa ser procurada, e não encontrei nada. Ando com a cabeça cheia, incrivelmente cheia de informações, não esta tudo bagunçado como o de costume está na verdade bem mais organizada, porém com tantas informações, muitas coisas acontecendo e passou a ser difícil descrever o que ando pensando, mais do que o de costume.
Acho que quase sempre na vida chegamos a um ponto onde temos que aprender a conviver com nossos sentimentos, ou enfrentá-los. Digo isso por sempre fugir dos meus, ou simplesmente não encontrar eles em mim. Sempre  achei extremamente fácil falar de sentimentos com as pessoas, não sobre os meus é claro, sempre fui boa em dar conselhos, sentimentais ou não, mas principalmente sentimentais, apesar de não ser o meu forte sabe? Sentir algo, e tudo mais, nunca fui muito chegada a isso.

Sentimentos.... Essa é uma palavra que anda rondando minha vida a um bom tempo, e ultimamente minha cabeça. Normalmente eu sempre escrevo sobre eles, ou sobre a ideia deles. Na verdade pensar em sentir algo 'real' me assustava, me assusta, isso sempre me fez correr de qualquer aproximação, de qualquer linha que cruza-se o "tanto faz" que eu sempre impus a coisas relacionadas.

Sempre me proibi sentir, por medo acredito eu, mesmo que inconscientemente, eu acabei ignorando o fato de que eu poderia me magoar com outras coisas, outras situações. Por isso me importei demais, me magoei demais, mais do que em qualquer relacionamento.

Andei cansada de me importar demais, de vez ou outra sempre me abalar, sempre me culpar por coisas que estão fora do meu controle, me culpar por situações nas quais eu não tenho toda parcela de culpa, andei cansada de me magoar de pouco a pouco por problemas que não tinham mais soluções. Cheguei a conclusão que não mereço sempre sofrer por bagunça de outras pessoas. Eu realmente cansei, e quando isso aconteceu eu só decidi não me importar mais.

As vezes deixar as coisas seguirem seu próprio rumo é a melhor alternativa, não adianta tentar interferir em situações que não estão sob seu controle, você apenas vai se magoar mais, se torturar ainda mais, e pior vai acabar nunca tirando da sua cabeça coisas nas quais você quer esquecer, sentimentos que não quer sentir. Comecei a levar esse conselho pra mim, afinal depois que você se da ao máximo, faz o possível, as vezes só não tem mais o que fazer, é preciso deixar as coisas seguirem.

Eu sempre estive em um grande impasse na minha vida, sempre triste, sozinha, apesar de tantas pessoas a minha volta, e quando me sentia finalmente bem, eu nunca soube o que fazer com isso, sempre me preocupei demais, acredite ou não acabava colocando sempre a felicidade e o bem estar de outras pessoas a cima do meu... Eu ando cansada de não saber como ser feliz, de como não saber ficar bem. Parei de me importar, ou ando tentando parar e depois disso tenho andado com uma vontade absurda de sentir sensações novas. De sentir coisas jamais sentidas. De experimentar momentos que me tirem o fôlego. Eu preciso viver. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário